top of page
Buscar
  • Fátima Dresch

O que é Permacultura? Entenda os conceitos e a prática.


A palavra permacultura foi firmada no final dos anos 70 por Bill Mollison e David Holmgren. Os dois estudavam questões a respeito da sustentabilidade da nossa vida na terra e trabalhavam juntos em projetos dessa temática.

O termo foi aplicado com o sentido de "agricultura permanente", se referindo a um “sistema integrado de espécies animais e vegetais perenes ou que se perpetuam naturalmente e são úteis aos seres humanos”. Portanto permacultura relaciona-se diretamente com a definição de sustentabilidade.

Com essa ligação tão forte, permacultura surge como solução direta às principais práticas e princípios para a vida em uma comunidade sustentável. O conceito geral e aplicabilidade de permacultura, ilustrado abaixo, também podem ser conferidos nas cartilhas de Mollison e Holmgren, que estarão disponíveis no final do texto.

Princípios éticos e de design, Flor da Permacultura,

Flor da Permacultura

(eu que ilustrei ☺)

A permacultura se resume a princípios de design para atender de forma respeitosa e empírica a relação de uso do solo / espaço. Ela também traz respostas práticas e simples para a produção de alimento e soluções sustentáveis a longo prazo, colocando as pessoas em posição ativa e de poder sobre a proposta arquitetônica e manutenção dos espaços, empoderando o indivíduo.

De maneira bem resumida, a permacultura apresenta 12 princípios básicos e pontuais, que podem ser adotados em formato de checklist, como traz o quadro abaixo. Os princípios são apresentados no formato de uma afirmação de ação positiva com um ícone associado para lembrete visual. Todos os itens também tem um provérbio tradicional, que está ali para enfatizar o aspecto negativo do princípio, no sentido de prevenção.

Princípios de design da Permacultura.

Portanto permacultura é, principalmente, trabalhar com a natureza e não contra ela. Olhando o sistema em todas as suas funções ao invés de apenas tirar proveito dele, permitindo que esse sistema demonstre sua própria capacidade de transformação e desenvolvimento. São diretrizes para a criação de uma comunidade humana sustentável que integra design e ecologia, sintetizando conhecimento tradicional e moderno, aplicável em situações urbanas e rurais.

 

As zonas da Permacultura

Em um projeto de planejamento em permacultura, o conceito de zoneamento é fundamental para o aproveitamento pleno e melhor uso das potencialidades do lote. Na prática, divide-se o desenho em 6 zonas classificadas com base no tempo que investimos em cada uma delas em relação a necessidade de proximidade para o uso frequente.

Existe uma fala do Bill Mollison que ilustra perfeitamente o conceito das zonas em permacultura:

Se precisar de algumas ervas frescas para o almoço e se para as apanhar ficar com os chinelos molhados do orvalho, elas foram colocadas muito longe da casa (Mollison, 2001).

Conceitualmente as zonas são círculos concêntricos, como ilustra o esquema abaixo, mas na prática obviamente, podem assumir outras formas.

Zonas da Permacultura

O importante é a posição das 5 zonas em relação à zona 0, pois ela é o local que se reside, ou nós mesmos. É a partir dela que se pensa o zoneamento em permacultura, conforme características, diretrizes e sugestões abaixo.

Zona 0 – Muito Frequente. É a zona da habitação, mas tem um detalhe importante: devemos considerar o indivíduo como zona 0 também, pois a permacultura parte do indivíduo no espaço. Pode incluir estufa de climatização da casa e pequena produção de alimentos, plantas no interior e exterior, animais de companhia; Pensar sobre a quantidade de luz que entra na casa, permitindo também a relação com o exterior; Deve ser lugar de refúgio e relaxamento.

Zona 01 – Frequente. Área do quintal, costuma ficar até 15 metros da casa; Pode incluir pequena produção de vegetais e canteiro de ervas aromáticas, estufa para berçário de plantas, compostagem, animais de companhia. Essá área pode ser cercada para proteção de predadores. Esse é o ponto de partida do desenho de Permacultura.

Zona 02 – Visitado todos os dias: Área mais longe da casa onde se cultiva legumes maiores e frutas que precisam de pouca atenção. Pode incluir espaço com flores silvestres, lagoa pequena, área maior para compostagem animais domésticos como galinhas e abelhas. Essa zona pode se organizar pelos caminhos utilizados com frequência no lote.

Zona 03 – Visitado semanal ou mensalmente. Espaço do jardim floresta, maior reserva de água, produção comercial de alimentos, celeiro, árvores de maior porte para quebra-vento.

Zona 04 – Visitado mensal ou anualmente: Não acontece em todos os projetos, pois é a área de pastagem de animais domésticos de maior porte como ovelhas, cabras, vacas, porcos. Pode incluir produção de lenha e coleta de alimentos selvagens.

Zona 05 – Aconselha-se a vista frequente. É uma área selvagem, um local de união com a natureza e de estudo dos seus padrões; Espaço de meditação. Não intervir aqui.

Claro que, como nós já falamos inúmeras vezes aqui no blog, cada projeto vai ter as suas particularidades e limitações, o que faz esses conceitos bastante flexíveis na prática. E, pra finalizar, coloquei mais abaixo alguns links que foram referências pro texto e podem ajudar bastante gente a começar a entender permacultura.

Se você tiver interesse em entender melhor esse assunto, pode chamar a gente por aqui. Qualquer dúvida, comentário, elogio, pode deixar nos comentários abaixo.

 

Links referência sobre Permacultura

Bill Mollison // Panfleto I da Serie Curso de Design em Permacultura <link>

David Holmgren // Os Fundamentos da Permacultura <link>

#permeabilidade #permacultura #plantas #animais #Sustentabilidade #sustentavel #perma #cultura #agricultura #billmollison #davidholmgren #zonas

651 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page