top of page
Buscar
  • Martin Patz

Como pensar nas cores da sua casa.


Acho importante começar me apresentando. Eu sou o Martin, acadêmico de Arquitetura e Urbanismo, trabalho com a Ana faz pelo menos 2 anos na área de móveis planejados e hoje faço parte do Studio Alfa.

Escrevi esse texto para falar um pouco sobre uso de cor na arquitetura e como essas cores influenciam o nosso dia a dia.

Foto por VisualHunt

Construir, reformar ou renovar um espaço (mesmo que alterações pontuais, só com objetos de decoração) causa algumas impressões/reações/sentimentos nas pessoas. E é por isso que a escolha de cores não pode ser subjugada. Escolher com responsabilidade e critério garante que a sensação de aconchego e bem estar se manifestem nesses espaços. Vou começar apresentando algumas características essenciais das cores e posteriormente como elas podem ser utilizadas nos ambientes do nosso dia a dia: Vermelho: é uma cor forte. Representa poder e ousadia. Sabe-se que pessoas podem perder a noção do tempo em ambientes onde o vermelho é utilizado de forma deliberada. Normalmente nota-se isso em cinemas, teatros, bares, etc; Amarelo: vibrante e quente, o amarelo remete a criatividade e a recepção de novas ideias. É a cor da extroversão e também uma cor que estimula o apetite. Empresas de fast food como McDonalds, Habib’s, Burger King usam e abusam dessa cor (normalmente somada ao vermelho);

Laranja: por ser uma cor de grande força e destaque, pode-se aplicá-la em seus tons mais suaves. Tem como função estimular a ação. Remete à vitalidade, criatividade e afetividade; Verde: a cor do equilíbrio e da harmonia. Reduz a tensão e o stress. Por esse motivo muitas pessoas sentem-se bem em meio a natureza, pois essa é a cor que inclina ao relaxamento;

Azul: associado à ideia de integridade, responsabilidade e autoridade, por se tratar de uma cor que relaxa e acalma. Tende também a gerar sono e por isso hospitais tem grande presença de tons de azul (em macas, poltronas, uniformes). Isso é feito para condicionar o paciente ao repouso e acelerar a recuperação;

Violeta: representa confiança, lealdade, além de estimular a criatividade;

Branco: remete à calma, pureza e espiritualidade nos ambientes. Em conjunto com outras cores, gera grande contraste e destaca os elementos coloridos. Costuma causar a sensação de amplitude e também é ótima para trazer luminosidade aos ambientes;

Acho que as mais importantes estão aqui. Mas como podemos criar boas composições nos espaços? Quais cores usar? Pode-se partir de alguns princípios básicos para explorar a cor nos espaços. A roda de cores de Johannes Itten, por exemplo, auxilia muito na exploração de combinação de cores,

Johannes Itten - roda de cores

A premissa básica de combinação é compor com cores complementares, ou seja: a cor oposta no círculo cromático. Mas conforme a particularidade do caso ou da necessidade, se compõe com cores análogas, ou meio complementares, que também são opções a serem exploradas. Lembrando que o importante é explorar a criatividade e identidade própria nos ambientes, sem regras rígidas.